12 de jun de 2007

CAMILA VEDOVETO

No ilícito prazer do utópico
Adulo a loucura inerte
Onde a fumaça acaricia minha face
Mas logo a atira no chão

No chão junto à vaidade fosca
Onde meus olhos opacos suplicam satisfação Minerva tornou-os inúteis
Incapazes de saciedade

Meus olhos anestesiados plagiam
Insensíveis lágrimas inábeis de convencer a todos Inábeis de convencer a mim mesmo...

INFORMAÇÃO PNLL - Plano Nacional do Livro e Leitura


Escritores fazem propostas para democratizar a leitura


Em encontro entre escritores e o secretário-executivo do PNLL, José Castilho Marques Neto, no Itaú Cultural, foram apresentadas e discutidas propostas para a democratização do acesso aos livros e à literatura: Caravanas de Autores, Jornadas Literárias e a criação de um Fundo Nacional pela Literatura, o Livro, a Leitura e as Bibliotecas. O documento com as propostas dos autores, já entregue ao Ministro Gilberto Gil em novembro de 2004, foi entregue a Castilho na ocasião. Nele, propõem-se também a realização de um senso literário para mapear a produção e a formação de um acervo livre de direitos autorais, para democratizar o acesso ao conhecimento. Os escritores contam com um representante no Conselho Diretivo do PNLL e têm assento na Câmara Setorial do Livro, Literatura e Leitura fazendo parte ativa deste processo.


Prêmio VivaLeitura 2007

Quando: até 9 de julho

A maior premiação individual para o incentivo à leitura no Brasil vai receber trabalhos nas categorias "Bibliotecas públicas, privadas e comunitárias"; "Escolas públicas e privadas"; e "Sociedade: Empresas, ONGs, pessoas físicas, universidades/faculdades e instituições sociais".


II Bienal do Livro de Santa Catarina De 20 a 24 de junho



Bienal Capixaba do LivroDe 22 de junho a 1 de julho

MANOEL DE BARROS POETA MAIOR

Nasci para administrar o à-toa
o em vão
o inútil.
Pertenço de fazer imagens.
Opero por semelhanças.
Retiro semelhanças de pessoas com árvores
de pessoas com rãs
de pessoas com pedras
etc etc.
Retiro semelhanças de árvores comigo.
Não tenho habilidade pra clarezas.
Preciso de obter sabedoria vegetal.
(Sabedoria vegetal é receber com naturalidade uma rã
no talo.)
E quando esteja apropriado para pedra, terei também
sabedoria mineral.

HISTÓRIA

Sonhos e Pesadelos na História
Organizadores:
Fernando Tadeu de Miranda Borgese Maria Adenir Peraro
Ed. Carlini & Caniato/EdUFMT
Na história do mundo, tanto o sonho quanto o pesadelo andam quase que juntos. Sonhos e Pesadelos na História não se fixa num tempo, mas em todos os tempos históricos, portanto, de forma temporal e atemporal, com a intenção de dissecar a cultura do encanto-desencanto, diante de desafios e incertezas em meio a um permanente estado de guerra.
Sonhos de igualdade, pesadelos da exclusão; sonhos de democracia, pesadelos das ditaduras; sonhos de liberdade, pesadelos da escravidão; sonhos de vida, pesadelos da morte; sonhos de paz, pesadelos da guerra; dualidade contraditória em que uma se nutre da outra.
Discutir a presença do sonho e/ou do pesadelo foi o propósito maior para reunir nesta coletânea pesquisadores que, de uma forma ou de outra, vêm se ocupando com a questão.