23 de jun de 2007

A DUPLA FACE HUMANA

A Dupla Face Humana

Marília Teixeira Martins

O maior investimento que tenho feito em meu consultório junto aos clientes no processo de autoconhecimento, diz respeito às suas sombras “escondidas” e/ou emoções reprimidas. É incrível a quantidade de pessoas que acabam criando para si mesmas uma enorme dívida emocional, simplesmente por não reconhecerem seus sentimentos mais primitivos!

Acabam por ficar estacionadas em uma condição de desequilíbrio, no qual os sentimentos, em vez de serem expressos e manifestados de forma adequada, são contidos e presos numa armadilha, exaurindo assim as energias necessárias para uma vida plena.

Prisioneiras de suas próprias sombras pensam que se mostrarem uma determinada emoção serão exibidas sob luz desfavorável e julgadas dentro de uma escala de valor. E livrar-se dessa dívida emocional contraída por elas mesmas é um dos objetivos prioritários no processo de crescimento. Assumir e responsabilizar-se por seus próprios sentimentos, sejam desconfortáveis ou não, levam-nas a uma compreensão fiel de como se relacionam consigo mesmas e conseqüentemente com os outros que participam de seu “mundo”.

A partir do momento em que começam a se aceitar a si mesmas e o que têm de humano, incluindo defeitos, concluindo que mesmo sendo imperfeitas como são, ainda são dignas e merecedoras da tão desejada felicidade, reúnem energias suficientes para atuar de forma efetiva sobre suas sombras e/ou emoções reprimidas. Sentindo-se libertas, ficam prontas e fortes para, aí sim, ir em busca de mais luz.

Enfim, não existe outro caminho para o desenvolvimento humano que não seja o de admitir, reconhecer e aceitar o fato de que somos luz e sombra ao mesmo tempo e responsáveis diretos por nossa condição e evolução, autores e sujeitos de nossa própria vida.

Nenhum comentário: